segunda-feira, 21 de maio de 2018

Estão abertas as inscrições para o ciclo de palestras gratuitas no CCBB Rio!


PALESTRAS
Dia: 9.06 de 15h às 17h.
Auditório CCBB - pegar senha na bilheteria do CCBB 30 minutos antes das palestras. //

- CAMINHOS PARA UM CORPO EXTREMO : SEXUALIDADE E CIVILIZAÇÃO -
Tema: “A revolução é a sexualidade pisando a civilização” - essa frase do Coletivo The Motherfuckers, me faz pular. Como vamos sobreviver a uma era de fracasso completo dos sistemas tradicionais sem relações mais drásticas com a presença em potência? Como a energia erótica transtorna o entorno criando outras possibilidades de existência? Como a precarização da arte nesse momento afeta nossos corpos e nossas obras? Para onde estamos caminhando? Como seguir em estado de arrebatamento?”
Palestrante (s): Carolina Bianchi - BRASIL
Duração: 30 a 50 minutos
- DESORIENTAÇÃO, INOPEROSIDADE E PERDA DE TEMPO COMO CATALISADORES DA CRIAÇÃO TEATRAL -
Tema: O diretor do espetáculo MANSA, Diogo Liberano, através do compartilhamento de reflexões compostas originalmente para esta palestra, buscará refletir sobre os caminhos da direção teatral na contemporaneidade a partir de premissas como: a desorientação do processo criativo como maneira de, ao impedir e dificultar a chegada da criação, justamente encontra-la; a possibilidade de, mais do que criar, também criar não; e a importância de perder tempo sendo improdutivo durante um processo criativo. Tais premissas, mais do que certezas, anunciam-se como provocações que têm por objetivo justamente revelar alguma atualização acerca dos modos de criação em sala de ensaio, revelando forças desconhecidas e de extrema potência ao fazer teatral.
Palestrante (s): Diogo Liberano - BRASIL
Duração: 50 minutos
- EL TEATRO NUNCA HÁ SIDO HUMANO. (THEATER HAS NEVER BEEN HUMAN) -
Tema: O que é, e como poderia ser feito um teatro não antropocêntrico? Um olhar sobre o processo criativo do "realismo"; e "Estado Vegetal".
Palestrante (s): Manuela Infante - CHILE
Duração: 30 a 50 minutos
Confira a prgramação completa aqui na página do facebook
https://www.facebook.com/cenabrasilinternacional/

quarta-feira, 16 de maio de 2018

PRÊMIO CBTIJ 2018

PRÊMIO CBTIJ 2018: 

LISTA COMPLETA DE VENCEDORES



        A 4ª edição do Prêmio CBTIJ de Teatro Para Crianças foi realizada em 15 de março de 2018 no  Teatro Sesi Centro. Para nossa felicidade SAKURÁ, tendo sido indicado em várias outras categorias, recebeu o prêmio de melhor adereço de LEO THURLER e GABRIEL NAEGELE.
    
   Parabéns a estes artistas talentosos que nos enchem de orgulho e a esta equipe linda da Cia Crias da Casa! Parceria total!!!



    Parabéns aos idealizadores, coordenadores, produtores do Prêmio CBTJI que lutam bravamente em prol da valorização do Teatro para a Infância e  Juventude!!!!




Parabéns aos amigos Marcio Nascimento, Ricardo Blat e Cleber  de Oliveira pelos prêmio e homenagem!!
Confira a lista completa de vencedores:
 Adereços
Leo Thurler e Gabriel Naegele (SAKURÁ)


Espetáculo
MAKURU, UM MUSICAL DE NINAR
Texto Original
José Mauro Brant (MAKURU, UM MUSICAL DE NINAR)
Texto Adaptado
Alexandra Golik e Carla Candiotto (CINDERELA LÁ LÁ LÁ)
Direção
Gabriel Mendes (OMI – DO LEITO AO MAR)
Ator em Papel Protagonista
Udylê Procópio (BITUCA – MILTON NASCIMENTO PARA CRIANÇAS)
Atriz em Papel Protagonista
Bárbara Abi-Rihan (TAGARELANDO)
Ator em Papel Coadjuvante
Marcio Nascimento (CASA CARAMUJO)
Atriz em Papel Coadjuvante
Janaína Azevedo (MAKURU, UM MUSICAL DE NINAR)
Coletivo de Atores e Atrizes
Bebel Ribeiro, Helena Cerello e Paula Flaibann (CINDERELA LÁ LÁ LÁ)
Cenário
Natália Lana (MAKURU, UM MUSICAL DE NINAR)
Figurino
Carol Lobato (MAKURU, UM MUSICAL DE NINAR)
Trabalho de Formas Animadas
CASA CARAMUJO
Iluminação
Paulo César Medeiros (MAKURU, UM MUSICAL DE NINAR)
Música Original
Tim Rescala (MAKURU, UM MUSICAL DE NINAR)
Música Adaptada, Trilha Sonora ou Direção Musical
Kadú Monteiro e Raquel Terra (OMI – DO LEITO AO MAR)
Visagismo
Cleber de Oliveira (JOÃO O ALFAIATE – UM HERÓI INUSITADO)
Projeções Cênicas
Renato Vilarouca e Rico Vilarouca (MAKURU, UM MUSICAL DE NINAR)
Fotografia de Cena
Renata Colônia (OMI – DO LEITO AO MAR)
Preparação Corporal
Bárbara Abi-Rihan, Fábio Lacerda e Palu Felipe (TAGARELANDO)
Coreografia
Bebel Ribeiro, Helena Cerello e Paula Flaibann (CINDERELA LÁ LÁ LÁ)
Direção de Produção
Cacau Gondomar e Fabrício Polido (MAKURU, UM MUSICAL DE NINAR)
Programação Visual
Clara Meliande (TRA-LA-LÁ)
Técnico
Luiz Carlos Lopes e José do Carmo Cardoso Ribeiro, pelos 17 anos de trabalho em conjunto como técnicos do Teatro Sesc Tijuca
Homenagem
Ricardo Blat, pela contribuição ao Teatro para Crianças ao longo de sua carreira
Menção Honrosa
A Comissão Julgadora concedeu Menção Honrosa às produções dos espetáculos JONGO MAMULENGO e ACHADOUROS pela importância de suas propostas.
Empresa Amiga do Teatro
Água Donna Natureza
O júri da premiação é formado por Angela Reis, Rogério Freitas, Marcia Frederico, Miguel Vellinho e Demetrio Nicolau e presidido por Cleiton Echeveste.

quarta-feira, 27 de dezembro de 2017

Feliz 2018!! Boas Festas!!!


Paz, saúde, esperança, honestidade, amor, prosperidade, generosidade, união, gentileza, harmonia, respeito é o que desejamos para todos!!! 



sábado, 21 de outubro de 2017

"Pé na estrada" - Cia Crias da Casa com SAKURÁ!!


Sakurá, escrito e dirigido por Gabriel Naegele, foi o espetáculo de encerramento da Mostra Nacional do 10o FENATIFS. Apresentando no dia 10 às 14h30min., no teatro mais importante de Feira de Santana, o Centro Cultural Amélio Amorim. Concebido pelo núcleo de trabalho em ascenção, a Cia Crias da Casa-RJ...continuar lendo...

Gratidão a toda a equipe do FESTIVAL que esteve lado a lado com a gente!!
Gratidão a Aline Gomes e a Felipe Gouvea pela linda estreia!!
Gratidão a Ricardo Schopke pela crítica!!
Gratidão kadu Moura pela dedicação!!
Gratidão a todos que nos receberam e acolheram em Feira de Santana, BA.
          


                             
                             








sexta-feira, 22 de setembro de 2017

Crítica: Botequim Cultural fala sobre o espetáculo SAKURÁ


Por Renato Mello
O fim do inverno e o renascer da primavera é um dos momentos mais aguardados pelo povo nipônico há séculos. A floração muda por completo o cenário do país, principalmente o sakurá, a cerejeira típica do arquipélago. Acredita-se que a origem do nome deriva da Princesa Konohana Sakaya Hime(a princesa das árvores das flores abertas), que teria descido dos céus e aterrissado numa cerejeira.
Sakurá”, terceiro espetáculo da Cia Crias da Casa, propõe uma imersão na tradição japonesa para traçar paralelos e contrapontos com o nosso universo imaginário. Com direção geral de Gabriel Naegele, cumpre temporada até o dia 1º de outubro no Teatro Municipal Ziembinski, Tijuca. Continuar lendo...